6 de fevereiro de 2013   Publicado por: Garante Araribóia

Uso de espaços define o custo do condomínio

Lojas e espaços comerciais instalados em prédios residenciais também pagam condomínio. O valor dependerá dos serviços usados.

“Se o comércio não usa o elevador, a área de lazer nem os funcionários do prédio, consequentemente, não irá pagar por isso”, diz Roseli Hernandes, da Lello.

Roseli esclarece que, por ser uma área muitas vezes à parte, as despesas ordinárias, que são as contas fixas mês a mês, podem ser separadas do restante do prédio -a exemplo de instalações de serviços de água e energia. “Geralmente, os relógios são separados”, diz ela.

Cláudio Bernardes, presidente do Secovi-SP, diz que essa relação depende de caso para caso. “Tecnicamente pode haver uso de serviços em comum ou não. Quando existe um vínculo, há o rateio”.

Bernardes pontua que itens como o seguro predial podem pesar mais para o comércio que atue em área de maior risco de acidente. Ele cita de exemplo uma oficina mecânica com maçarico.

“Já um reparo extra, como uma reforma na calçada, que envolva a loja, deve ser rateado por todos”, pondera.

Em relação ao mercado, o preço do imóvel residencial, de acordo com Roseli, não se desvaloriza por estar atrelado a um comércio. Já na comparação de preço, o imóvel comercial sempre é mais caro que o residencial. “Não é possível afirmar quanto, mas sempre é mais caro, tanto para locação como para venda”.

Fonte: Folha de S. Paulo

sem comentários publicado em: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>