18 de agosto de 2014   Publicado por: Garante Araribóia

TV e Internet para todos

Na escolha da melhor alternativa, condomínio e moradores devem avaliar opções na região e vantagens de planos coletivos

Internet e TV por assinatura já são, há algum tempo, ferramentas essenciais. É raro encontrar quem não queira melhorar a imagem dos programas, ampliar o número de canais na residência ou ter acesso à rede mundial de computadores.

Quem mora em condomínio e precisa decidir a melhor opção deve inicialmente checar se já há alternativas vantajosas no lugar, como planos coletivos ou pacotes com operadoras.

Todos os bolsos – A primeira opção a ser oferecida para quem não faz questão de canais além dos abertos, mas quer uma imagem boa, é a chamada antena coletiva. É a alternativa mais simples e barata, já que o acesso se dá pela instalação de uma antena no prédio e alguns acessórios básicos nos apartamentos, como divisores. O sinal emitido é o analógico. Mas agora, com a transmissão feita em alta definição (ou HD), o morador precisa ter um televisor compatível para receber o sinal e o prédio deve trocar o sistema analógico pelo digital.

Algumas construtoras já entregam os prédios com o sistema pronto, mas o mais comum é os moradores se juntarem e compartilharem os custos da antena, dos acessórios e do técnico que fará a instalação.

Ao longo do tempo, a antena coletiva passou a ser pouco para a necessidade dos moradores, que passaram a avaliar as diversas opções de TV por assinatura existentes no mercado. Em um condomínio, a vantagem é que a partir de um determinado número de apartamentos, os planos podem sair bem mais barato. Além disso, muitas vezes são oferecidos pontos extras sem custo adicional e pacotes com telefone e internet. Ao contratar, é preciso informar-se sobre os benefícios.

Instalação varia – Para instalar o acesso à TV a cabo ou por satélite é preciso autorização do condomínio. Isso porque os serviços requerem o uso de cabo ou antena e é preciso que o prédio tenha a estrutura adequada ou não haja problemas de alteração na fachada.

Quando a TV é a cabo, instala-se o cabo da operadora no apartamento, e o sinal é emitido até o decodificador instalado na TV. A opção satélite precisa de uma antena que pode ser instalada no topo do prédio, na varanda do apartamento ou ao lado da janela nos que não possuem sacada.

Já a fibra ótica é a tecnologia mais nova. O sinal é transmitido por cabos e chega mais rápido. Por ser recente, algumas regiões ainda não contam com a opção.

No caso da estudante paulistana Renata Cots, a família tem uma TV em cada cômodo e conta com o serviço de TV por assinatura há muitos anos, tendo optado sempre pelo sinal a cabo por não precisar de antena.

“O mais importante para a gente é atender ao que cada um gosta. Meu pai é apaixonado por esportes, eu e meu irmão curtimos filmes e séries, além dos canais de música, e minha mãe gosta de canais de entretenimento.”

Telefone e internet – Muitas operadoras oferecem pacotes de TV por assinatura que já incluem serviços de telefonia e internet. Vale a pena pesquisar os benefícios e entender como os serviços funcionam.

A tecnologia a cabo emite o sinal do telefone e da internet por meio do mesmo cabo, segundo Renato Sedoski, gerente da Loja Matel, em São Paulo. O ponto positivo é poder concentrá-los e facilitar a instalação. Porém, quando cai o sinal, o morador fica sem televisão, internet e telefone. O mesmo acontece com a fibra ótica. Já o telefone e a internet via satélite não dividem o sinal. Eles são independentes.

O que o morador deve avaliar

- O que vai precisar além do sinal da TV, como telefone e internet

- Se o condomínio oferece alguma parceria com as operadoras para obter descontos

- Se o condomínio autoriza a instalação de cabos e antenas

Fonte: iCondominial

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>