21 de maio de 2014   Publicado por: Garante Araribóia

Soluções contra a infiltração

A infiltração é um transtorno que nem sempre tem a ver com excesso de chuvas, ainda que essa seja a causa mais comum. A estética de pintura estufada ou manchas de mofo é a menor das preocupações, porque até o laudo técnico (de um engenheiro civil), o problema não pode ser considerado apenas superficial. Os efeitos podem aparecer por cima, mas a raiz da infiltração pode ter origem estrutural, comprometendo inclusive a segurança do imóvel.

Para tirar dúvidas de síndicos e administradores de condomínio e trazer aos maringaenses recentes recursos para prevenir e combater esse tipo de problema, a regional do Sindicato dos Condomínios e da Habitação do Paraná (Secovi-PR) convidou o arquiteto Vinícius Trevisan para uma palestra de orientação na segunda-feira passada. “A abordagem foi sobre questões pontuais para os síndicos e administradores, como novos materiais muito simples de manusear que podem ajudá-los a eliminar o problema logo no começo. Conforme o caso, e falamos de vários deles, a pessoa precisa apenas de um pincel e do produto certo para acabar com a infiltração”.

Ele afirma que nem sempre a culpa do excesso de umidade é de um vazamento ou do acúmulo de água da chuva. “Nós temos que considerar a temperatura local, que [em Maringá] é bem alta e isso faz com o imóvel transpire. Com o passar do tempo, a sensibilização dessa superfície que dilata com o calor do sol e a constante ação do vento podem causar microfissuras ou mesmo fazer com que alguns revestimentos ou tinta se soltem”.

Os rodapés, pontinhos escuros de bolor e “estofadinhos” na pintura servem como alertas.Quando há manchas na parede ou mofo já instalado, a primeira providência é encontrar o ponto de infiltração retirando-se a massa (reboco). Se isso acontecer, a orientação de Carvalho é aplicar uma argamassa flexível no local que elimina o problema e também evita que ele reapareça naquele ponto.

As falhas ou a ausência de impermeabilização, especialmente em fundações e telhados, calhas entupidas, telhas quebradas ou mal encaixadas são as causas mais comuns das infiltrações.

Segundo o coordenador de mercado de materiais básicos da Telhanorte, Cícero Carvalho, o primeiro passo para acabar com o problema é identificar a sua origem. Assim, é possível corrigi-lo por meio de produtos desenvolvidos para cada situação. “Se a infiltração é pelo telhado, mas a telha não possui rachaduras, é possível usar uma fita autoadesiva, que funciona como uma membrana asfáltica e é uma solução fácil e imediata”.

Para vazamentos em lajes, um dos produtos de eficiência comprovada é a manta asfáltica ou manta líquida. Ele explica que nesse caso, a diferença está no método de aplicação e local de uso. “A manta líquida pode ser aplicada em lajes de cobertura, marquises e telha de fibrocimento como se fosse uma pintura. Já a manta asfáltica exige mão de obra especializada e pode ser utilizada em lajes, além do uso em impermeabilização de baldrames, varandas, terraços, entre outros”.

UNIHAB
A palestra do arquiteto Vinícius Trevisan faz parte da programação anual da Universidade Livre do Mercado Imobiliário e Condominial (Unihab), vinculada ao Secovi-PR. Informações sobre esse e outros temas, agenda de cursos e palestras na regional do sindicato: (44) 3025-6767.

LAUDO NA MÃO
“A ação corretiva só é eficaz se for identificada a raiz do problema. É essencial ter orientação profissional”
Cícero Carvalho
Coord. de Produtos Básicos

Fonte: O Diário

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>