30 de agosto de 2013   Publicado por: Garante Araribóia

Plantas para purificar o ar

Saiba quais plantas são capazes de retirar maior quantidade de toxinas do ar e aprenda a usá-las dentro de casa

O grupo de espécies que registra altos índices de absorção de gases poluentes acaba de ganhar mais um integrante: a sun patiens. Originada no Japão, a planta mantém a temperatura do solo baixa e consegue absorver substâncias como nitrogênio e dióxido de carbono. “A sun patiens, conhecida no País como ‘maria-sem-vergonha’, foi estudada por anos e sofreu melhoramentos genéticos”, afirma Nelson Sakamoto, engenheiro agrônomo da empresa Sakata, que trará a planta ao Brasil. “As pesquisas japonesas resultaram em uma espécie com mais estômatos (estrutura responsável pela troca gasosa e transpiração vegetal), o que lhe permite ampliar a captação de gases.”

A planta japonesa é, na verdade, uma versão da espécie “impatiens balsamina”, originada na Nova Guiné e cultivada em locais sombreados. A alteração genética permitiu também que fosse cultivada a pleno sol e florescesse todo o ano. O cuidado com a sun patiens exige ainda pouca adubação e regas diárias.

Estudos da Agência Espacial Americana (Nasa) já revelaram que algumas plantas ornamentais, além de retirarem o dióxido de carbono (CO2), absorvem gases tóxicos como benzeno e formol. Pouco se fala sobre esses componentes químicos, mas a verdade é que eles estão espalhados pela casa inteira sem notarmos. Muitas das colas usadas para a aplicação de papéis de parede e assoalhos, e aquelas utilizadas para construir móveis apresentam alguma dessas substâncias. Tintas, vernizes e outros acabamentos também estão nessa lista.

O uso desses produtos que afetam o meio ambiente vem sendo banido ou reduzido. Porém, muito mais fácil do que trocar toda a mobília ou reformar a casa inteira é decorá-la com um purificador de ar 100% natural. Confira a lista de plantas que ajudam a renovar mais rapidamente o ar dos ambientes e as dicas dos especialistas:

Camedórea-bambu (Chamaedorea seifrizii)

Trata-se de uma palmeira muito resistente e clássica na decoração de interiores. “É como aquele pretinho básico que nunca sai de moda. Funciona superbem em qualquer tipo de decoração, sozinha ou em destaque”, afirma a paisagista Nô Figueiredo.

Só é preciso atenção na hora de escolher o vaso . “Ela necessita de espaço para poder se desenvolver, por isso, procure por peças maiores”, explica a paisagista Yuka Kussano.

Clorofito (Chlorophytum comosum)

Versátil, pode ser usado em diversas situações. “Em jardins verticais , painéis verdes e outras opções pendentes”, sugere o paisagista Alexandre Fang. Se já existir outra planta maior, ele se torna um bom complemento. “É boa alternativa como forração de vaso”, completa Nô.

Crisântemos e gérberas 

Quem gosta de variar as cores com maior freqüência, deve optar por crisântemos (Dendranthema grandiflorum) e gérberas (Gerbera jamesonii). “As flores duram algumas semanas, depois é preciso comprar outros exemplares”, diz Yuka. Podem ser colocados em vasos de cerâmica esmaltada ou cachepôs, enfileirados em um aparador.

Dracena-de-Madagascar (Dracaena marginata)

Esta é uma espécie que precisa de mais espaço. “Seu porte volumoso pede um recipiente maior”, ressalta Fang. Para sua apresentação, é possível colocá-las em conjunto ou isolada. “Pode-se compor três vasos iguais, lado a lado. Ou mudas de diferentes alturas em um mesmo lugar”, indica Yuka.

Espada-de-São-Jorge e pau-d’água 

Estas plantas (Sansevieria trifasciata e Dracaena deremensis, respectivamente) retornaram com força total. “Combinam com uma decoração mais moderna, minimalista, e funcionam como esculturas vivas”, diz Nô.

Filodendro-pendente

Como sugere o nome, o filodendro-pendente (Philodendron hederaceum) é uma excelente opção para estruturas suspensas ou painéis verticais. “É muito resistente e pode ser cultivada em locais com ar-condicionado e luz artificial”, conta Fang. Ainda pode ser exposto de outra forma. “Se tiver onde se apoiar, uma treliça ou grade, ele sobe e pode alcançar até 4,5 m”, diz Yuka.

Hera

A hera (Hedera helix) é mais uma planta de várias utilidades. “Fica linda como forração de canteiros ou vasos e também pode ser cultivada num cachepô pequeno como planta pendente ou então conduzida enrolada numa estaca de madeira”, explica Nô.

Lírio-da-paz

Conhecido por gostar de solo úmido e meia-sombra, o lírio-da-paz (Spathiphyllum wallisi) parece não sair da moda. “Apenas uma mudinha num vaso pequeno já muda o astral do ambiente. Se você tiver um pouco mais de espaço, pode fazer uma bacia com eles”, conta.

Cuidados

Apesar destas serem espécies que não requerem muitos cuidados, possuem grande resistência e podem ser cultivadas dentro de casa é preciso lembrar alguns pontos importantes. “ Luminosidade e ventilação são fundamentais. Cuidado com rega em excesso, esse é um erro muito comum com plantas de interiores”, diz Fang.

A adubação também não pode ser deixada de lado, afinal, o vaso é restrito e os nutrientes irão se esgotar. “Por isso, é preciso colocar uma nova camada de terra rica em matéria orgânica de duas a três vezes ao ano”, orienta Yuka.

As combinações entre as plantas são bem-vindas e podem criar resultados interessantes. “Porém, evite aglomerar muitas espécies, afinal a ideia não é ter um show-room de plantas”, completa Fang.

Fonte: Ig

sem comentários publicado em: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>