30 de junho de 2014   Publicado por: Garante Araribóia

Planejamento prévio facilita reforma

Fotos: André Rodrigues/Gazeta do Povo / Na área de serviço, o casal Amanda e Wilson Carvalho já previu o encanamento para água quenteNa área de serviço, o casal Amanda e Wilson Carvalho já previu o encanamento para água quente

Preparar estrutura para futuras benfeitorias reduz necessidade de quebrar paredes, por exemplo.

O planejamento prévio de ações e desejos traz benefícios para a vida pessoal e para a carreira, e no setor da construção civil isso não é diferente. Planejar durante o projeto eventuais benfeitorias que possam ser agregadas ao imóvel permite que a instalação de equipamentos seja facilitada no futuro, sem demandar reformas ou grandes investimentos financeiros. “Tudo o que puder ser acrescentado ao projeto é benéfico, inclusive porque permite a realização da obra em mais de uma etapa”, explica Marcus Vinícius Paiva, arquiteto e gerente comercial da Construtora Baggio.

O que prever?

As benfeitorias variam de acordo com as necessidades e desejos dos moradores. Entre as mais comuns está a instalação de equipamentos para a climatização dos ambientes. “É importante o proprietário prever que tipo de climatização pretende utilizar para que os pontos para a instalação já sejam embutidos nas paredes”, diz Paiva.

Foi o que fez o casal Aman­da Lamb Nogarolli de Carvalho e Wilson Beleski de Carvalho, que finalizou a construção da casa, localizada em um condomínio no Campo Comprido, há oito meses. Durante a obra, eles deixaram cinco ambientes preparados para receber equipamentos de ar condicionado, além da estrutura para torneira de água quente na área de serviço. “Já instalamos o ar na nossa suíte e foi muito prático por a parte elétrica e a hidráulica estar pronta”, conta Amanda.

Tubulações secas para a instalação de sistemas de alarmes, som, circuitos de TV e rede de computadores também são recorrentes no planejamento dos projetos, lembra Thomaz Coccioli, engenheiro e sócio-diretor da Construtora Curitiba. “Costumamos deixar sobras de carga nos quadros elétricos para possíveis acréscimos na iluminação, que pode deixar de ser funcional para assumir uma função decorativa”, explica.

Ampliação

 / Projeto da casa também reservou espaço para instalação futura do ar-condicionado em cinco ambientes

Instalações de maior porte, como piscinas e elevadores internos, e até mesmo a ampliação do imóvel (por meio da construção de edículas, novos ambientes e pavimentos), podem ser previstas no projeto, facilitando sua posterior execução. No caso de lareiras e churrasqueiras, a orientação dos profissionais é que elas sejam instaladas durante a construção, pois necessitam de dutos de exaustão que representam seu maior custo. O mesmo ocorre com os pisos aquecidos, cujas serpentinas são colocadas por baixo do contrapiso, o que inviabiliza sua instalação posterior.

Custo

Pensar no futuro do imóvel gera economia de tempo e recursos

Uma das principais vantagens de se planejar melhorias para o imóvel e prepará-lo previamente para recebê-las é a praticidade na instalação futura dos equipamentos. O fato de as estruturas internas estarem prontas agiliza o processo, reduzindo o tempo de execução e eliminando a necessidade de quebra-quebras e todo o transtorno decorrente das reformas. “Dependendo do serviço, a família precisaria conviver com a sujeira e a poeira, ou até sair do imóvel e gastar com aluguel durante a obra, o que não ocorre nesses casos”, lembra Marcus Vinícius Paiva, arquiteto e gerente comercial da Construtora Baggio.

O investimento financeiro necessário para instalar as benfeitorias é outro aspecto que reforça a vantagem da preparação prévia das estruturas. Segundo o arquiteto, o custo para se deixar as instalações prontas para receber os equipamentos não chega a 10% do valor da obra. “Este é um investimento que o proprietário terá que fazer algum dia se pretende ter determinada benfeitoria, mas ele pode dobrar caso todo o processo seja realizado apenas no momento de sua instalação”, afirma.

Mesmo que os moradores não utilizem as estruturas deixadas em espera, elas não trazem prejuízos ao imóvel. Ao contrário, promovem a valorização da residência, que será mais atraente comercialmente por contar com essa infraestrutura, explica Thomaz Coccioli, engenheiro e sócio-diretor da Construtora Curitiba.

Por isso, ele reforça que é fundamental pensar no uso de longo prazo do imóvel no momento do projeto, já que as necessidades atuais da família podem se modificar.

 

Fonte: Gazeta do Povo

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>