13 de novembro de 2013   Publicado por: Garante Araribóia

Pinheiro de Natal exige rega, sol e enfeites leves; entenda

Armada no dia 30 de novembro, a árvore de Natal precisa de cuidados que vão além da escolha dos adornos para quem opta pelo pinheiro natural. Encontrado nas espécies tuia, kaizuca e cipreste, ele exige atenção redobrada, pois precisa de rega, iluminação e enfeites leves para manter-se verdinho e com seu cheiro característico o tempo todo.

Um cuidado especial diz respeito à luz e à ventilação natural, já que a árvore passa 38 dias dentro de casa. “O ideal é colocá-la em um vaso que tenha rodinhas, ou próxima à janela, para que consiga tomar um pouco de sol durante o dia e não apresentar deficiência nutricional ao longo do tempo”, indica o paisagista Ademir Carosia. Lembre-se também de girar a planta durante sua exposição para que o banho de sol seja uniforme.

Periodicamente, observe as folhas, pois quando ficam amareladas há um indício de exagero na rega. Recomenda-se colocar água na terra de duas a três vezes por semana, dependendo do clima da região: quanto mais quente, mais líquido será necessário. “Faça a rega na dose certa ou quando sentir que o substrato está seco, para isso é preciso tocá-lo com o dedo”, observa.

Enfeites

Levadas pelo impulso e colorido natalino, muitas pessoas não deixam um galho do frágil pinheiro sem enfeite, situação que provoca estresse na planta e diminui sua vida útil. Por isso, além de fazer uma decoração mais contida, dê preferência a objetos levinhos como bolas pequenas de plástico e os festões mais finos. “Há quem coloque enfeites até por cima do substrato, o que dificulta saber se a rega está boa”, diz Ademir.

Um dos símbolos do Natal, o pisca-pisca deve apresentar selo de controle de qualidade na embalagem para que as lâmpadas não esquentem demais e acabem murchando a árvore. Risco pouco lembrado ao adquirir as luzinhas é o de incêndio, já que o pinheiro possui óleos voláteis, altamente inflamáveis. Assim, na hora da compra, procure produtos feitos de LED, que produzem pouco calor e ainda consomem menos energia.

Fonte: Terra

sem comentários publicado em: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>