7 de fevereiro de 2013   Publicado por: Garante Araribóia

Orçamento em dia

Alguns cuidados podem ajudar a emagrecer a taxa do condomínio.

Condomínios fazem “dieta” para entrar no orçamento

Excesso de horas extras, desperdício de água e energia são alguns dos problemas que deixam contas “acima do peso”
Começo de ano é sempre uma época de contas apertadas por causa dos gastos extras com Natal, férias, impostos, escola e etc. Por isso mesmo, é um momento em que muitos síndicos se veem pressionados a cortar despesas para deixar a taxa condominial mais barata, já que este é um dos itens que mais comprometem o orçamento de quem vive em conjuntos residenciais.
Para resolver esta questão, os síndicos vêm buscando serviços de consultoria profissional para reduzir custos e otimizar os recursos arrecadados.

“Apelidamos este serviço de dieta do condomínio. Com um trabalho bem feito, em apenas três meses é possível obter excelentes resultados”, garante José Roberto Iampolsky, diretor da Paris Condomínios , administradora que atua há mais de 60 anos em São Paulo e atende uma média de 25 novos condomínios “acima do peso” por ano.

Para exemplificar a “dieta do condomínio”, Iampolsky conta um caso de um condomínio na capital paulista onde a empresa conseguiu diminuir gastos mensais, realizar melhorias e criar um superávit de R$ 70 mil para os próximos 12 meses. “Por conta deste trabalho, os apartamentos que antes eram avaliados em R$ 650 mil passaram a valer R$ 900 mil”, comemora.
Horas extras demais
Segundo o diretor da Paris Condomínios, após análise, percebeu-se que a folha de pagamento do edifício estava muito cara devido ao excesso de horas extras. “A solução foi contratar dois folguistas e adotar uma escala de trabalho e folgas. Por incrível que pareça, mesmo com mais dois profissionais, houve uma redução de R$ 3 mil mensais na folha de pagamento, ou seja, uma economia de R$ 36 mil ao ano”, relata.
Desperdício de água e luz
 O próximo passo foi uma revisão de toda a rede hidráulica e elétrica.

“Regulamos as descargas de água, que não recebiam manutenção há anos, e instalamos sensores de presença na iluminação da área comum. Estas duas medidas simples geraram uma economia mensal da ordem de R$ 1.800,00, que representa um montante de mais de R$ 21 mil em um ano”, conta.

Iampolsky.
Contratos de manutenção
Durante a revisão dos contratos de manutenção (elevadores, bombas, jardineiro, interfones, antena coletiva, circuito fechado de TV), foi detectadoque os mesmos tinham valores de 30% a 50% acima dos praticados.  ”Fizemos uma concorrência e conversamos com os antigos fornecedores, que puderam igualar seus valores aos obtidos com as novas empresas”, revela Iampolsky.
Resultados: economia, melhorias e valorização – A “dieta do condomínio” gerou excelentes resultados. O condomínio que antes custava R$ 1.600,00 agora custa R$ 1.100,00. Com a economia gerada em apenas três meses foi possível reformar toda a garagem. Em 12 meses, estima-se um superávit de R$ 70 mil e o valor de mercado dos apartamentos do edifício subiu, em média, R$ 38,5%.
Fonte: SindicoNet
sem comentários publicado em: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>