2 de fevereiro de 2015   Publicado por: Garante Araribóia

Obrigações fiscais no início do ano

Obrigações fiscais no início do ano

Gestores devem organizar os pagamentos dos primeiros impostos do ano.

O ano novo começa e é hora de botar no papel os compromissos financeiros que devem ser pagos por pessoas físicas e jurídicas. Especialista em planejamento e assessoria de condomínios, Dirlei Magro destaca que entre os principais tributos de início de ano, os síndicos devem estar atentos à RAIS, à DIRF e à contribuição sindical patronal.

“A DIRF é de grande importância, pois é a informação para a Receita Federal que gera os dados e valores para o imposto de renda. Em contrapartida temos também a declaração de rendimentos, que deve ser enviada aos empregados, com os mesmos valores informados à Receita Federal na DIRF”, explica.

De acordo com Dirlei, a RAIS é uma declaração financeira que deve ser enviada informando os valores recebidos pelos empregados durante o ano, a qual serve, entre outras finalidades, para verificação dos empregados que têm direito ao recebimento do abono anual.

Dirlei lembra ainda que outro ponto para o qual se deve ficar atento é a contribuição sindical patronal e dos empregados, ou imposto sindical. Previsto no artigo 578 e na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), a contribuição patronal deve ser paga até o dia 31 de janeiro e a contribuição dos empregados tem o prazo de vencimento em março.

“A obrigatoriedade do pagamento da contribuição sindical patronal sempre gera dúvida, mas oriento meus clientes que a contribuição seja paga. Trata-se de um valor pequeno, que se não for pago gerará inúmeros incômodos, até mesmo uma possível ação de cobrança”, conclui Dirlei.

Planejamento

O contador Fábio Bernardes salienta que, além desses tributos, nesta época alguns condomínios também pagam a taxa de registro municipal para recolhimento do ISS retido na fonte, além é claro dos fixos mensais como FGTS, PIS e INSS.

O contador destaca que o planejamento dos pagamentos de tributos é importante para que o síndico se organize e sempre tenha disponibilidade financeira para efetuar os recolhimentos no vencimento sem pagar encargos pelo atraso e mantendo em dia as suas obrigações tributárias.

“No escritório não efetuamos os pagamentos das guias, mas a cada mês preparamos toda a documentação e encaminhamos aos clientes, sempre com bastante antecedência, para que possam se programar financeiramente de acordo com seus fluxos de caixa e disponibilidade”, explica Fábio.

Fonte: CondomínioSC

 

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>