19 de novembro de 2013   Publicado por: Garante Araribóia

Obras estruturais e de mobilidade valorizam empreendimentos imobiliários

Melhorias podem gerar valorização de até 30%

Há três anos a comerciante Paula Anunciação, que mora há 15 na Avenida Heitor Dias, tentou vender a casa de dois quartos onde vive com a família por R$ 50 mil, mas ao saber que a região ganharia uma nova estrada, desistiu do negócio. Hoje, duas semanas após a inauguração da Via Expressa Baía de Todos os Santos, ela já não vende o imóvel por menos de R$ 65 mil. “Acho que vai valorizar ainda mais no futuro. Mas, já veio comprador aqui e botei o preço com mais 30% do que valia antes da obra”, diz.

De acordo com Nilson Sarti, presidente da Associação de Dirigente de Empresas do Mercado Imobiliário da Bahia (Ademi – BA),  a Via Expressa e a Barra são exemplos de áreas valorizadas devido às intervenções recentes. “Acredito que quando a obra da Barra ficar pronta, vai valorizar os imóveis da região entre 20% e 30% só pela conclusão da qualificação”, avalia. A proximidade de intervenções estruturais ou de mobilidade causa uma valorização de até 30% nos imóveis.

Na Barra, a intenção da prefeitura de Salvador é colocar piso compartilhado para ser usado por carros e pedestres. Durante as obras, também será feita a requalificação de balaustradas e contenções. O modelo, que já existe em cidades dos Estados Unidos e da Europa, terá velocidade dos veículos de apenas 20 km/h.

A previsão para o fim das obras é 2014, mas já nesse Carnaval virão os primeiros sinais de mudança. “Tudo que é feito para melhorar a qualidade de vida de um bairro ou região acaba produzindo um efeito positivo no valor dos imóveis. Essas obras ajudam nas vendas e facilitam também o aluguel porque a região acaba ganhando os olhares da cidade”, diz Samuel Prado, presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis – 9ª Região (Bahia).

Mauro Ribeiro mora na Barra há 20 anos e acredita que a após a reformulação o valor do metro quadrado no bairro vai aumentar. “Comprei um apartamento ano passado aqui na Barra que custou R$ 300 mil. Hoje, se eu fosse vender, já pediria pelo menos uns R$ 350 mil. Quando essa obra ficar pronta, o bairro vai ganhar em qualidade de vida e todo mundo vai querer morar por aqui”.

Via Expressa

A Via Expressa liga a BR-324 ao Porto de Salvador e passa pelos bairros Baixa de Quintas, Caixa D’ Água, Vila Laura, Cidade Nova, Pau Miúdo, Cabula e Santa Tereza. Antes da inauguração a obra já era usada como diferencial pelos empreendimentos imobiliários em construção na região.

É o caso do empreendimento Mirabeau Sampaio Residence, no Barbalho, que destaca a proximidade do condomínio com a nova via em seu material de divulgação.

Segundo o chefe de gabinete da Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia, Eduardo Copello, a Via Expressa consegue melhorar a questão da mobilidade, o que reflete na qualidade de vida das pessoas e, consequentemente, na maior atenção sobre o valor dos imóveis dos bairros por onde a via passa.

“Numa cidade com quase três milhões de habitantes, a mobilidade é definidora da moradia”, afirma. O presidente do Creci-BA, Samuel Prado, ressalta que valorização não significa necessariamente um maior valor de venda do imóvel. “Valorizar é permitir que a região, por exemplo, sustente o preço e tenha facilidade na hora de comprar, vender ou alugar pelo preço pretendido sem ter queda em relação a períodos anteriores”, diz Prado.

“A Via Expressa é muito grande e vai trazer valorização mesmo para os bairros mais populares onde há pouco espaço para construir. Nesse caso, é difícil indicar o percentual de valorização porque depende muito do comportamento do mercado na relação de imóveis à venda com pessoas interessadas em comprar”, esclarece o presidente da Ademi-BA.

Para ele, o futuro de Salvador deve refletir para uma valorização imobiliária em função de grandes obras estruturais para a cidade. Ele ressalta que o benefício não é só dos bairros que recebem as obras, mas de todo o entorno.

Copello informa que obras estão sendo executadas – ou previstas para serem construídas – na cidade e irão proporcionar a valorização em outras regiões da cidade nos próximos anos.

“Se hoje estamos falando da valorização no entorno da Via Expressa, nos próximos anos estaremos falando do mesmo efeito na Paralela, Imbuí, Avenida Pinto de Aguiar, além dos bairros próximos ao metrô e de outras grandes intervenções”, destaca Copello.

Ele cita as alças que vão ligar a BR-324 à Avenida Luís Eduardo Magalhães, que devem ficar prontas no primeiro trimestre de 2014; as vias marginais da Avenida Paralela que vão ligar a região ao Imbuí, além da ampliação da Avenida Pinto de Aguiar, Avenida Orlando Gomes, construção da Avenida 29 de Março (que ligará Piatã a Plataforma) e o metrô.

Pela prefeitura, estão previstas obras em nove trechos da orla, que vão do Subúrbio Ferroviário ao bairro de Itapuã. Nos locais, serão implantados 50 mil m² de calçadas, 6 km de ciclovias, 10 km de iluminação pública, além de quadras poliesportivas. O projeto, orçado em R$ 100 milhões, prevê implantação de anfiteatro, quiosques, restaurantes, arenas multieventos, requalificação de praças e banheiros públicos.

Fonte: Correio da Bahia

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>