3 de outubro de 2014   Publicado por: Garante Araribóia

Obras em atraso: como driblar este aborrecimento?

Após alguns anos de entregue e ocupado, é natural que um edifício passe por algumas obras, seja para reparar algum dano causado à estrutura ou um incremento em alguma área para embelezamento e conforto dos usuários. Esse tipo de intervenção precisa ser aprovado por unanimidade junto à assembleia de condôminos, junto ao orçamento detalhado das etapas e previsão de conclusão.

O problema é que, não raro, esses valores e datas são invalidados e o que a princípio seria uma pequena reforma toma dimensões maiores em custos financeiros extras e incômodo prolongado na rotina dos ocupantes do prédio. Qual a postura para evitar essas surpresas desagradáveis? O que se deve fazer para que a obra não fuja do roteiro inicial? Planejamento minucioso!

A resposta é simples, mas colocá-la em prática requer um estudo criterioso e pulso firme. OEngenheiro Civil formado pela Escola de Engenharia Mauá e diretor da D2F Engenharia, Daniel Fazenda Freire, elege pontos importantes para se organizar um planejamento eficiente e evitar atrasos e possíveis desperdícios.

A primeira etapa consiste na concepção do projeto junto aos profissionais especializados. A dica principal para iniciar e desenvolver um projeto de construção é seguir o passo a passo correto. A empresa construtora deve passar para o condomínio todos os detalhes em relação ao orçamento para só depois começar a obra.

“O normal é deixar para resolver depois, mas como todo problema, quando se resolve em cima da hora fica mais caro e pode comprometer o resultado final. Outro detalhe é não deixar nada subjetivo, tudo tem que ser muito claro, pois a conta sempre aparece, e se não foi negociado/detalhado, o proprietário fica com uma conta, que nem sempre é de responsabilidade dele”, alerta Freire.

De acordo com o engenheiro, um segundo passo sugerido na etapa de planejamento é organizar a ‘inteligência’ da obra, determinando os prazos, tamanho da equipe, qualificação da mão de obra.“Investir em “qualidade e segurança” da equipe de campo ajuda a preservar o perfil das equipes, que provavelmente executarão outros projetos, evitando gastos para contratações a cada obra a ser executada”, avalia.

Manter os clientes atualizados sobre o andamento das obras é uma obrigação da construtora responsável e o síndico deve estar permanentemente vigilante em relação a isso, pois certamente será questionado por outros condôminos. Muitas empresas no mercado da construção civil já disponibilizam relatórios em tempo real, como forma de manter uma comunicação eficiente e sem atropelos com os clientes, com envio de fotos e atualização do cronograma.

O engenheiro Daniel Freire rebate veementemente a ideia pressuposta de que sempre surgirão problemas imprevistos. “Com um plano de execuções bem estruturado é possível evitar problemas diversos”, garante.

Fonte: Jornal do Síndico

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>