14 de janeiro de 2016   Publicado por: Garante Araribóia

O mundo lá fora: condomínios investem em atividades ao ar livre

 No condomínio Atlântico Sul, na Barra da Tijuca, moradores praticam esporte ao ar livre (Daniel Wander/Revista Secovi Rio)

No condomínio Atlântico Sul, na Barra da Tijuca, moradores praticam esporte ao ar livre (Daniel Wander/Revista Secovi Rio)

O perfil dos condomínios no Rio veio mudando ao longo do tempo. Dos playgrounds incrementados na década de 1980 às incríveis áreas de lazer dos condomínios-clube nos anos 1990 e 2000, esses espaços ganharam atrações que tornam praticamente desnecessário o contato com o mundo exterior.

Amedrontados pela violência e acostumados com o conforto e as facilidades de ter tudo ao alcance das mãos, os moradores desses condomínios parecem ter se habituado à vida cercada por muros e grades. Mas isso está mudando: é crescente o movimento de pessoas que vêm buscando atividades do lado de fora, ao ar livre, aproveitando a natureza e os novos espaços culturais que a cidade começa a oferecer.

Muitas vezes, a iniciativa parte dos próprios condomínios. É o caso do Atlântico Sul, na Barra da Tijuca, que proporciona aos seus moradores opções de atividades culturais e de lazer.

O advogado Xavier Alonso, 651, conta que a ideia do beach tennis na altura do Posto 5 da Praia da Barra da Tijuca surgiu há dois anos entre os moradores que já jogavam tênis no condomínio e decidiram praticar o esporte tendo como cenário uma das praias mais bonitas da cidade, logo ali do lado, e, claro, com a possibilidade de dar uma escapada para curtir o mar.

– É muito bom poder dar um mergulho após uma partida, confirma.

Morador há mais de 30 anos, Xavier afirma que o esporte vem se popularizando nas areias da Barra. O condomínio deu uma forcinha, conseguindo a autorização da Prefeitura para a instalação dos postes e da rede. E fica responsável pela manutenção dos materiais para que os 20 praticantes da modalidade possam se exercitar sem preocupação e, o melhor, sem nenhum custo, já que não se cobra mensalidade.

A atividade acontece de segunda a sexta, de 8h às 10h. Raquetes e bolas ficam por conta do condomínio. E quem quiser pode chegar, todos os moradores são bem-vindos para a prática da atividade física ao ar livre. A saúde agradece.

Cultura e socialização

Se o beach tennis é uma atividade recente no Atlântico Sul, os passeios culturais já são um velho hábito para os habitantes do residencial com seis blocos e 430 apartamentos.

Subsíndico há 8 anos e morador há 35, o engenheiro Carlos Alberto Boueri, 722, revela que a iniciativa de realizar as excursões surgiu logo no início de sua gestão como uma forma de melhorar a prestação de serviços aos mais idosos, especialmente às viúvas, que, na maioria dos casos, residem sozinhas em seus apartamentos.

– O condomínio tem muitos atrativos, mas não para os idosos. Nós queremos tirar as pessoas de casa, fazer com que se sintam mais ativas, que saiam do lugar-comum, que é ficar dentro do condomínio jogando cartas ou conversando. Por isso tive a ideia de chamá-los para almoçar, ir ao teatro, sair. E elas gostam muito disso, só faltava um incentivo.

Fonte: SECOVI RIO

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>