25 de dezembro de 2013   Publicado por: Garante Araribóia

Lixo orgânico para adubar

O lixo orgânico ainda é pouco aproveitado nos condomínios. Geralmente, o material tem como destinação o aterro sanitário. Mas a arquiteta Maria Lúcia Mendes Gobbi, da Mendes Gobbi Arquitetura, de Florianópolis, pretende mudar esta realidade.

A arquiteta, que trabalha no segmento de ecodesign, pretende oferecer composteiras e o plantio de árvores frutíferas em espaços determinados nos prédios. “As pessoas precisam ter alimentos mais saudáveis e o adubo proveniente do lixo orgânico é excelente para a natureza e para as frutas e verduras”, explica.

Maria Lúcia está na fase de desenvolvimento do projeto. “A mudança de cultura deve ser gradual, as pessoas são muito imediatistas”, lamenta.

O projeto da arquiteta foi oferecido no condomínio Reino de Camelot, no Bairro Córrego Grande, na Capital. A síndica Verônica Feroldi explica que o prédio possui espaços livres, mas a decisão de fazer a compostagem, a horta e o pomar tem de ser tomada em assembleia, que será em agosto.

Opções de destino devem ser avaliadas

A engenheira sanitarista e ambiental Luciane Dusi, consultura de qualidade e meio ambiente de Midhas Consultoria, da Capital, explica que antes da decisão de separar o lixo orgânico no condomínio é preciso observar a quantidade de resíduo que será produzida e verificar as opções de destino deste tipo de lixo.

Alguns questionamentos devem ser feitos: existe área verde dentro do condomínio? A área será capaz de absorver a produção de composto orgânico proveniente da compostagem? Após avaliação criteriosa é que se pode decidir pela medida ou não.

Luciane diz ser importante consultar um técnico que elaborará um projeto e levará em consideração a quantidade de lixo e o ambiente disponível.

O empresário Enno Grubber, de Florianópolis, desenvolve composteiras que podem ser utilizadas pelos moradores nos apartamentos porque ocupam pouco espaço. O sistema consiste no uso de minhocas vermelhas ou californianas que aceleram o processo de decomposição. Além do húmus, as minhocas produzem um biofertilizante, que também pode ser utilizado na horta e no pomar.

O que é compostagem

É o conjunto de técnicas aplicadas para controlar a decomposição de materiais orgânicos, com a finalidade de obter material rico em húmus e nutrientes minerais com atributos físicos, químicos e biológicos superiores àqueles encontrados na matéria-prima.

No processo de decomposição do material, as minhocas exercem um importante papel como aceleradoras da decomposição, disponibilizando nutrientes. As minhocas transformam o húmus em adubo para reforçar a terra e fazer a horta.

O que pode ir na composteira: cascas de frutas e verduras, farelo de pão e folhas.

Fonte: CondomínioSC

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>