7 de outubro de 2013   Publicado por: Garante Araribóia

Hábitos que podem comprometer a saúde

Para o especialista em higienização de ambientes, Osvaldo Logo, a limpeza exige conhecimento, método e planejamento. Segundo ele, as pessoas costumam cometer erros graves com a intenção de deixar a casa ‘o mais limpa possível’, porém, isso pode comprometer a saúde da família e ainda danificar seus móveis, eletrodomésticos e revestimentos. O profissional atua na House Shine, rede de franquias portuguesa, que presta serviços de higienização em residências e imóveis comerciais, há um ano no Brasil.

Segundo Logo, para muitos, basta disposição e alguns produtos de limpeza para deixar uma casa limpa e agradável. “As pessoas têm dificuldades de mudar hábitos antigos. Em outras situações, os proprietários da casa sabem a forma correta de fazer algum procedimento, mas não conseguem convencer sua empregada ou diarista. Diante de uma orientação nova, elas fazem correto algumas vezes, mas logo voltam para os hábitos antigos”, afirmou Logo.

Limpar o micro-ondas ou as prateleiras da geladeira com desinfetante, espalhar o pó no ambiente com a vassoura ou ainda tentar dar brilho no piso com cera, para o especialista, além de danificar móveis e revestimentos, estes são exemplos de hábitos nocivos à saúde. “Os locais para armazenagem ou manipulação de alimentos devem sempre ter a limpeza finalizada com pano úmido, para evitar contaminação”, sugeriu.

“O uso de vassouras e espanadores é um dos hábitos mais ultrapassados que existe. Varrer significa transportar a poeira de um local para o outro. Micropartículas sobem e descem, se espalhando entre móveis, cortinas, estofados e pisos. O resultado (para ele) é que as pessoas têm a sensação de que a casa está sempre suja e empoeirada”, insistiu o profissional

Renite, alergias, resfriados, inflamações, dermatites, dores de cabeça são alguns dos problemas causados pelo contato com a poeira ou com agentes químicos, presentes em desinfetantes, desengordurantes, detergentes, removedores etc. Os produtos de limpeza trazem nas embalagens orientações do tipo evite contato com a pele, não inale, não ingira e lave as mãos após o uso.

Os erros mais comuns:

Cozinha

Micro-ondas, interior da geladeira e bancadas de manipulação de alimentos são exemplos de locais na cozinha que costumam ser limpos com produtos multiuso. O correto é usar apenas detergente neutro e em pequena quantidade, diluído em água. Se for necessário usar uma quantidade maior, deve-se fazer a retirada com pano úmido. Desinfetantes e álcool irão danificar os revestimentos com o tempo.

Sala 

Um dos maiores enganos na limpeza de salas e quartos é a utilização de ceras e removedores nos pisos. Laminados, porcelanatos, pisos vinílicos, carpetes de madeira são exemplos de revestimentos que já possuem um acabamento de fábrica e por isso dispensam produtos para dar brilho, o que pode ser realizado apenas com o uso de um tecido correto e seco para lustrar.

O uso de ceras e removedores favorece o escurecimento do piso com o tempo, pois permite que a poeira grude nas superfícies. Com isso, o efeito momentâneo de brilho passa em pouco tempo deixando apenas uma película de produto impregnado com poeira.

Quartos

Especialmente, em se tratando de quartos de crianças e idosos, que tem a saúde mais frágil e normalmente são mais suscetíveis a alergias e problemas respiratórios, o uso de agentes químicos deve sempre ser evitado. Após o uso do aspirador de pó, o pano úmido antibacteriano é suficiente para limpar pisos e móveis.

A parte interna de guarda-roupas e gaveteiros deve ser limpa periodicamente. Se for necessário limpar manchas com detergentes ou outro tipo de produto, deve-se sempre passar o pano úmido ao final do processo.

Banheiros

Cultivar o hábito de dar descarga com a tampa do vaso sanitário fechada já é o primeiro passo para diminuir o nível de bactérias no ambiente. Um erro comum em relação a banheiros é utilizar água demasiadamente.

Muitas pessoas têm o hábito de deixar o banheiro “de molho” com água sanitária para matar fungos e bactérias, sendo que o ideal é manter o local o mais seco possível. Outro ponto é que o uso de cloro ou água sanitária mata bactérias momentaneamente.

Os desinfetantes, sim, têm efeito prolongado, preservando o ambiente por até 24 horas. Pode-se utilizar cloro apenas uma vez por mês, com o intuito de clarear rejuntes. O uso contínuo promove a oxidação dos materiais.

Fonte: Folha do Condomínio

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>