15 de setembro de 2016   Publicado por: Garante Araribóia

Gestão customizada

Síndica advogada aposta em plano de curto, médio e longo prazo para cada tipo de condomínio

Síndica advogada aposta em plano de curto, médio e longo prazo para cada tipo de condomínio

A advogada Mila Fernandes Rocha, 43, atua há vinte anos na área de condomínios. Já foi de tudo: moradora, conselheira, subsíndica e síndica dos condomínios onde morou.

Hoje é síndica profissional.

“Tenho confiança que cheguei longe porque sempre busquei qualificação. Mesmo quando era conselheira, fui atrás de formação para entender melhor a gestão de condomínios. Fiz um curso de seis meses em uma renomada instituição aqui em São Paulo e fiz cursos também de gestão de obras, de síndico profissional”, relata Mila.

Vocação vem desde cedo

Mila conta que começou jovem como conselheira do prédio onde residia.

“Eu era bem jovem, mas ficava atenta a coisas como as pastas de prestação de contas, o que era votado em assembleia e o que efetivamente acontecia. Às vezes percebia que nem tudo saia como era combinado e achei que seria uma boa acompanhar”, conta a advogada.

Com o passar do tempo, ela entendeu que nem sempre estar com boas intenções e querer ocupar o cargo de síndico ou de conselheiro era o suficiente para manter o condomínio nos trilhos.

“Muitas vezes, as pessoas se oferecem com boa vontade para as funções de gestão do condomínio, mas não têm tempo e/ou qualificação para realmente ir à fundo na análise das pastas, por exemplo”, argumenta ela.

Por isso, logo que começou como conselheira foi buscar qualificação. Ela também atribui o interesse e familiaridade com o assunto graças à mãe, que sempre foi bastante atuante nos condomínios onde morava.

Depois que se tornou síndica do condomínio onde morava, se sentiu segura para tomar sob sua batuta outros empreendimentos como síndica profissional.

Gestão planejada

O que a advogada considera ser crucial em sua prestação de serviços são os planos de gestão personalizados, que ela elabora para os seus clientes para ações de curto, médio e logo prazo.

  • Manutenção: preventiva, corretiva e emergencial. Olhar a fundo a estrutura do condomínio ajuda, e muito, a saber quais serão os gastos futuros com esse item
  • Gestão de pessoas: é muito importante saber se o número de funcionários do condomínio é adequado para o local, se a escala é a melhor possível e se não há necessidade de alguma readequação
  • Contratos: chamo todos os fornecedores do condomínio para conversar. Sempre é possível melhorar algo para o cliente
  • Segurança: estudar como é feito o controle de acesso ao condomínio, seja de veículos, pedestres ou de prestação de serviços vale para manter a segurança de todos em dia. Fundamental também checar a segurança perimetral, se há uso de cercas elétricas, dispositivos biométricos, sensores, e se todo esse sistema trabalha bem em conjunto
  • Medicina e segurança do trabalho: estar atento a esse detalhe é muito importante para evitar que o condomínio seja acionado judicialmente no futuro. Às vezes pode ocorrer de o empreendimento contar com os EPIs (Equipamento de Proteção Individual), mas como ninguém cobra, o colaborador não usa. Depois, se ele se machuca, o condomínio pode ser responsabilizado judicialmente.

Comunicação com condôminos

Outro ponto que ela considera crucial para um bom síndico profissional é o pronto atendimento aos seus clientes.

“Para cada cliente tenho um celular exclusivo. Quando ele toca, já sei de onde é”, argumenta ela.

Além desse contato, ela também disponibiliza whatsapp e e-mail para os moradores conseguirem acioná-la sempre que preciso.

Mila também considera crucial estar presente no condomínio fora do horário comercial, para estar disponível para os moradores.

“Um plantão de noite, depois das 19h, é muito mais confortável para o morador, já que assim ele não precisa chegar mais cedo para encontrar comigo. Eu estou lá quando ele chega”, aponta a gestora.

agilidade no atendimento também é valorizada e, por isso, a advogada não costuma receber clientes que estejam longe das áreas onde atua, atualmente em Higienópolis.

Um trabalho com tanta personalização, porém, cobra seu preço, já que a advogada não trabalha com prepostos. Todo serviço, planos e plantões são executados pela mesma.

“Para um trabalho nesses moldes, o máximo de condomínios que consigo atender simultaneamente são cinco. Acredito muito que síndico profissional não pode ser fast-food. Tem que ser algo realmente pensado para cada empreendimento”, emenda Mila.

 

Fonte: SindicoNet

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>