15 de agosto de 2013   Publicado por: Garante Araribóia

Futebol em condomínios, diversão ou incomodação para moradores?

Uns comemoram, outros gritam e muitos reclamam. Isso tudo em condomínios do Litoral Norte de Santa Catarina. Pode até parecer estranho tanto barulho num condomínio – lugar onde geralmente o silêncio é bem-vindo e quase uma obrigação – porém, em dias de transmissão de jogos de futebol pela televisão é exatamente essa mistura de sons que invade diversos edifícios e condomínios de Balneário Camboriú.

Torcedores

Edifícios como o imponente Missiones, localizado na esquina da Avenida Brasil com a Rua 1401, no Centro de Balneário, com 21 andares (três deles para garagem), se torna uma miscelânea de torcidas, gritos e brincadeiras.

Do alto do vigésimo andar, o jornalista Mauricio Daleffe, 30 anos, não perde a oportunidade, quando o seu São Paulo joga e vence, de gritar bem alto para os vizinhos torcedores de outros clubes: “Eu grito mesmo, principalmente por causa do vizinho corintiano que é um cara gozador. A rivalidade existe e tem que zoar mesmo”. Mauricio, em tom de brincadeira, garante que procura dar seus berros com a janela aberta ou da sacada do apartamento, mas mantém a boa convivência no condomínio.

Entretanto, essa convivência, às vezes, pode se tornar difícil, pois a “guerra de xingamentos” entre vizinhos-torcedores nos prédios, durante as transmissões, faz com que muita gente perca o sono e se sinta incomodada pelos excessivos palavrões proferidos pelos moradores.

Regimento interno

O síndico Kenner Lopes, 43 anos, alerta para o fato de que a maioria dos condomínios possui estatuto próprio que, geralmente, exige silêncio no edifício depois das 22h. Todavia, Kenner ressalta que, mesmo antes desse horário, os condôminos devem sempre atentar aos barulhos que possam atrapalhar a vida em comunidade. Assim, se a pessoa insistir com os gritos, estará sujeita a advertências e multas, como apregoa o regimento interno do edifício Jardim das Américas, localizado na Rua 2850, no Centro de Balneário.

“O condomínio não é estádio de futebol. Portanto, aqui no condomínio não toleramos algazarra por qualquer motivo, muito menos por futebol. E digo isso porque quando assumi a administração do condomínio, há dois anos, eu já sabia que quando aconteciam muitos jogos ao mesmo tempo na TV, era provável que houvesse barulho. Por isso, quando assumi logo já apliquei algumas advertências e multas para terminar com o problema”, revela Kenner.

Barulho da rua

Marli Cota, 58 anos, zeladora do edifício Missiones, o mesmo em que mora o jornalista Mauricio, conta que ela não costuma receber reclamações, dos moradores, sobre a perturbação de condôminos exaltados com os jogos de futebol. Ela afirma que isso já foi mais comum, contudo, hoje, o barulho se resume a poucos ruídos vindos da rua, pois a Avenida Brasil, que passa ao lado do prédio, é o ponto de encontro para as comemorações de vitórias e títulos. “A última vez que teve bastante barulho e buzina foi quando o Corinthians foi campeão do mundo, no final do ano passado”, afirma a zeladora.

Dicas

- Os moradores que se sentirem incomodados com o barulho podem registrar a reclamação no livro de ocorrências do condomínio;
- Se houver reincidência, o síndico pode advertir formalmente o condômino infrator ou aplicar uma multa.

Fonte: CondomínioSC

sem comentários publicado em: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>