16 de janeiro de 2013   Publicado por: Garante Araribóia

Construção sob medida

A presidente Dilma Rousseff sancionou no dia 19 de dezembro de 2012 a Lei nº 12.744, que normatiza a modalidade de locação conhecida como “built to suit”, que em bom português significa: “construído para servir”.

De acordo com a lei, empreendedores estão liberados para construírem imóveis ou executarem grandes reformas sob medida para um inquilino em especial, tendo, em contrapartida, contratos de locação mais longos e seguros.

A imobiliarista Claudete Iwata, que é professora do curso de Gestão de Negócios Imobiliários do Cesumar, afirma que a sanção é positiva tanto para o dono do estabelecimento como para o locatário.

Foi sancionada em dezembro de 2012, lei que regulamenta a modalidade “built to suit”, na qual o locador constrói ou reforma um imóvel ‘sob encomenda’

Foi sancionada em dezembro de 2012, lei que regulamenta a modalidade “built to suit”, na qual o locador constrói ou reforma um imóvel ‘sob encomenda’

No “built to suit”, o locador edifica o imóvel conforme os gostos e desejos do seu cliente, que tem o direito de determinar exatamente como quer que a obra fique, incluindo desde acabamentos e acessórios, até sistemas de logística e segurança e layout da fachada, entre outros aspectos que estiverem especificados no contrato.

“Desse modo, o locatário pode dispor de um imóvel com as características que se enquadram às necessidades dele, sem ter que desembolsar cifras muito altas para construí-lo”, diz ela.

Na prática, o negócio já vem sendo praticado há alguns anos, mas não dava segurança ao locador. Claudete menciona vários casos de inquilinos que, alguns meses após entrarem no imóvel feito sob medida, desocuparam o espaço, causando inúmeros transtornos e prejuízos ao dono do empreendimento.

BOM PARA TODOS“Sanção da modalidade de locação agrada tanto os locadores como os locatários”
Claudete Iwata, Imobiliarista

A partir da normatização do “built to suit”, no entanto, o tempo do contrato passou a ser determinado de forma que a renda obtida com os aluguéis cubra o valor investido para a viabilização do imóvel.

Segundo Claudete, o contrato, geralmente, não tem duração inferior a dez anos, sendo que caso o inquilino desocupe o empreendimento imobiliário antes do período acordado cabe a ele pagar o valor integral referente ao aluguel de todas as parcelas restantes.

Mercado
O empresário do segmento imobiliário Marco Tadeu Barbosa, que é diretor do Sindicato da Habitação e Condomínios do Paraná (Secovi-PR) e do Sindicato dos Corretores de Imóveis do Paraná (Sindimóveis-PR), explica que o “built to suit” é requisitado, em grande parte, por agências bancárias, redes de supermercados, concessionárias de veículos e estabelecimentos comerciais.

Em Maringá, acrescenta ele, a modalidade é encontrada em todos os pontos da cidade, inclusive em regiões mais afastadas do Centro.

“Enquanto os bairros se desenvolvem em ritmo acelerado e ganham autonomia, cada vez mais as grandes empresas e instituições, que são as principais adeptas da locação sob encomenda, migram para estas localidades”, revela.

Fonte: Odiario.com

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>