19 de maio de 2015   Publicado por: Garante Araribóia

Condomínios bloqueiam entradas de acesso para evitar ‘fura fila’ no trânsito

Trechos são utilizados por motoristas para passar à frente durante os  congestionamentos.

Annyelle Bezerra 

 Áreas de condomínios não podem ter controle do tráfego pelo Manaustrans. Foto: Reinaldo Okita

Manaus - Utilizados como atalho para passar à frente durante congestionamentos, acessos de alguns condomínios estão sendo fechados na Avenida Torquato Tapajós, na zona norte de Manaus. A medida pretende evitar acidentes, pois os motoristas passam em alta velocidade, informaram os síndicos. É o caso do Residencial Forest Hill. Cones de grande porte e cancelas foram colocados na entrada.

O síndico Francisco César Gonçalves disse que até caminhões passavam pela baia. Os condôminos decidiram instalar uma cancela de ferro. “Antes de colocarmos a cancela, usávamos cones e correntes, mas eles ignoravam e passavam arrastando tudo. Ficávamos preocupados com o risco de batidas de carro e até de atropelamentos de pedestres. Tivemos, inclusive, casos de acidentes com danos materiais”, informou Gonçalves. Ele revelou que o condomínio, formado por 582 casas, pagou entre R$ 1,8 mil e R$ 2 mil pelo equipamento.

Mesmo com a cancela, motociclistas contornam o chafariz do residencial e passam por cima da calçada do empreendimento para ganhar tempo.

No Residencial Tapajós, também na Torquato Tapajós, placas com tinta refletiva, cones para redução de velocidade e outros de grande porte foram instalados, em março deste ano, para tentar impedir o ‘fura fila’ no trânsito. A administradora do residencial, Maíra Sabrity, disse que foram gastos R$ 2,5 mil, mas, mesmo assim, motoristas e motociclista chegam a descer do veículo para afastar os obstáculos. “A necessidade de pôr os obstáculos partiu dos próprios condôminos, mas não é raro vermos um carro voltando ou um motoqueiro afastando os cones para furar o bloqueio”, disse Sabrity.

O condomínio havia solicitado a presença de um agente de trânsito no local ao Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), mas a área é particular. “Consultamos se havia a possibilidade de um agente de trânsito atuar no local, até porque a travessia nesta área é muito prejudicada, mas eles informaram ser uma questão privada”, disse.

O uso de recuos de empresas e até de retornos sinalizados por semáforo como atalhos pelos condutores, na Avenida Torquato Tapajós, também são comuns. No trecho próximo à fábrica de cerveja Ambev, motoristas que trafegam no sentido bairro/Centro costumam fazer atalho, quando o semáforo fecha, pela alça destinada ao retorno dos veículos que estão no sentido Centro/bairro. A manobra aumenta o risco de colisões graves.

Alguns metros à frente, o recuo de acesso à empresa Videolar e que tem a saída próxima a uma faixa de pedestres também é usada pelos motoristas para cortar caminho em alta velocidade

Falta de educação

Em nota, o Manaustrans informou que a manobra de condutores em baías de condomínios para cortar caminho não está prevista no Código de Trânsito como infração e que “trata-se de uma atitude de falta de educação (por cortar a frente na fila de veículos) e de falta de respeito aos outros condutores”.

O órgão informou que o condutor que executar este tipo de manobra em alta velocidade, a ponto de provocar acidentes, deverá ser apontado como envolvido no acidente, mediante perícia da polícia.

Fonte: D24AM

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>