16 de maio de 2013   Publicado por: Garante Araribóia

Combatendo a dengue no condomínio

No mês de abril, vários estados brasileiros sofreram em demasia com a dengue, com mais de mil casos registrados em cada um e algumas mortes confirmadas. Para evitar que o mosquito causador da doença “faça a festa” onde você mora, é importante tomar alguns cuidados e exigir do síndico que cumpra algumas medidas em todo o condomínio.

- O mais importante é evitar água parada. Assim sendo, é recomendável jogar fora todo o tipo de material que possa acumular água, como garrafas e potes plásticos, e encher de areia os pratinhos das plantas. A água dos animais de estimação deve ser trocada diariamente e os potes, lavados com água e sabão frequentemente.

- Lugares altos, longe da vista, costumam ser esquecidos, mas podem estar acumulando água da chuva, por exemplo. Telhados e toldos de cobertura devem ser vistoriados de forma que se possa conferir se não há depressões que estão formando poças. Também é importante verificar se a caixa d’água está bem fechada e se não há galhos ou folhas impedindo a passagem da água por canos e calhas.

- Ralos, tanto os internos quanto os externos, também merecem a devida atenção e devem ser lavados toda semana.

- Em algumas regiões do país, os meses de abril e maio não costumam atrair muitas pessoas para a piscina por conta das temperaturas mais baixas. Quando a movimentação for menor, é importante que seja retirado o máximo de água do local e aplicado cloro toda semana. É recomendável também cobrir a piscina com uma lona. Em regiões em que as temperaturas altas sempre marcam presença, o ideal é aplicar cloro na água periodicamente.

Fique atento

A dengue clássica costuma causar sintomas como dor de cabeça, febre alta (acima de 40º), dores e manchas avermelhadas pelo corpo, náuseas, vômito, cansaço e falta de apetite. Já a dengue hemorrágica, considerada a mais perigosa, pode ocasionar perda de consciência, cólicas e vômitos intensos, dificultar a respiração, deixar a pele fria e reduzir a pulsação. Ao primeiro sinal dos sintomas, é de extrema importância procurar atendimento médico o mais rápido possível, aumentando as chances de cura.

No mês de abril, vários estados brasileiros sofreram em demasia com a dengue, com mais de mil casos registrados em cada um e algumas mortes confirmadas. Para evitar que o mosquito causador da doença “faça a festa” onde você mora, é importante tomar alguns cuidados e exigir do síndico que cumpra algumas medidas em todo o condomínio.

- O mais importante é evitar água parada. Assim sendo, é recomendável jogar fora todo o tipo de material que possa acumular água, como garrafas e potes plásticos, e encher de areia os pratinhos das plantas. A água dos animais de estimação deve ser trocada diariamente e os potes, lavados com água e sabão frequentemente.

- Lugares altos, longe da vista, costumam ser esquecidos, mas podem estar acumulando água da chuva, por exemplo. Telhados e toldos de cobertura devem ser vistoriados de forma que se possa conferir se não há depressões que estão formando poças. Também é importante verificar se a caixa d’água está bem fechada e se não há galhos ou folhas impedindo a passagem da água por canos e calhas.

- Ralos, tanto os internos quanto os externos, também merecem a devida atenção e devem ser lavados toda semana.

- Em algumas regiões do país, os meses de abril e maio não costumam atrair muitas pessoas para a piscina por conta das temperaturas mais baixas. Quando a movimentação for menor, é importante que seja retirado o máximo de água do local e aplicado cloro toda semana. É recomendável também cobrir a piscina com uma lona. Em regiões em que as temperaturas altas sempre marcam presença, o ideal é aplicar cloro na água periodicamente.

Fique atento

A dengue clássica costuma causar sintomas como dor de cabeça, febre alta (acima de 40º), dores e manchas avermelhadas pelo corpo, náuseas, vômito, cansaço e falta de apetite. Já a dengue hemorrágica, considerada a mais perigosa, pode ocasionar perda de consciência, cólicas e vômitos intensos, dificultar a respiração, deixar a pele fria e reduzir a pulsação. Ao primeiro sinal dos sintomas, é de extrema importância procurar atendimento médico o mais rápido possível, aumentando as chances de cura.

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>