2 de junho de 2014   Publicado por: Garante Araribóia

Animais de estimação demandam adaptações nos imóveis

Construção de canis e instalação de telas de proteção são alternativas para garantir o conforto e a segurança dos pets.

Divulgação / Espaço agility é destinado à atividade física dos animais

Espaço agility é destinado à atividade física dos anima

Para oferecer conforto e bem-estar aos animais de estimação, os proprietários dos imóveis começam a investir em soluções que facilitem o dia a dia dos bichanos dentro de casa. Planejar os ambientes pensando nos pets possibilita uma convivência saudável e amigável entre os habitantes da residência.

As adaptações variam muito de acordo com a espécie, o porte do animal e as possibilidades espaciais do imóvel. Em geral, vão desde a retirada ou substituição de móveis e objetos de decoração até a criação de espaços destinados exclusivamente para os pets.

Entre as espécies domésticas, os cachorros são os que costumam demandar mais atenção. A solução mais comum neste caso é a construção de canis que atendam às necessidades do animal.

O arquiteto Renan Melo explica que, assim como na edificação de uma residência, o projeto do canil deve levar em conta as características de quem irá ocupar o ambiente, ou seja, o porte, comportamento e o nível de atividade física da raça. “Não se pode criar um padrão e adotá-lo para todas as raças. É preciso avaliar as necessidades individuais para que o animal não fique estressado ou desconfortável no espaço”, explica.

Lar, doce lar

O ambiente destinado aos cachorros está entre as preocupações do casal Fernando e Edilaine de Souza Flores de Almeida no projeto do novo imóvel, localizado em um condomínio fechado em Curitiba. Os dois cães da raça Schnauzer estão há um e dois anos com a família e vivem dentro da casa com os donos, mas ganharão um espaço exclusivo na nova residência.

“Pensamos na privacidade deles. Queremos um canil em formato de minicasa, que acompanhe as características do imóvel, e que tenha um poste pequeno para o macho fazer suas necessidades”, detalha Fernando.

Nos condomínios residenciais, a preocupação com a segurança dos animais e dos vizinhos exige a delimitação dos espaços de circulação dos pets por meio da instalação de grades, portões e cercas. A elevação dos muros, de acordo com o porte do animal, é outra medida que pode ser adotada nas residências. Isso impede a fuga do pet ou um possível ataque a carteiros ou outras pessoas que circulem pela vizinhança. “Nas casas com grade, é preciso verificar se o espaçamento das barras não é muito grande, permitindo o acesso do animal à rua. Nesse caso, pode ser instalada uma tela sobre a grade para impedir o contato dele com o ambiente externo”, explica Melo.

Nas alturas

Nos apartamentos, as adaptações tornam-se um pouco mais difíceis pelas restrições espaciais do imóvel, que muitas vezes já é pequeno até mesmo para a família. Por isso, é crescente o investimento das incorporadoras em soluções destinadas aos pets como forma de oferecer uma alternativa à falta de espaço nas áreas privativas.

A opção mais comum para oferecer segurança ao animal no espaço interno do apartamento é a instalação de telas de proteção nas janelas e sacadas, o que impede a queda e a fuga dos bichanos. “O desejo de ter um animal de estimação é praticamente inevitável. Mas é preciso pensar com responsabilidade na escolha da espécie para que o espaço da moradia corresponda às necessidades básicas do pet”, lembra o arquiteto.

Imóveis ganham espaços para pets

É notável em Curitiba a preocupação das incorporadoras em inserir nas áreas comuns dos empreendimentos espaços destinados exclusivamente ao convívio dos bichos de estimação com os seus donos.

O pet care, ambiente para a higienização dos animais, está entre as soluções mais comuns, presentes, inclusive, em imóveis considerados de baixo padrão. Os espaços com equipamentos do tipo agility, no qual os cães podem se exercitar em espécies de circuitos, também começam a ganhar destaque nos condomínios. “Esse espaço é bastante utilizado pelos moradores. Para quem tem um animal de estimação, a presença de ambientes externos para os pets se torna um fator decisivo para a compra”, afirma Silvia Fernandes, gerente de incorporação da Cyrela Paraná.

Nos ambientes internos, as soluções ainda estão restritas aos imóveis de alto luxo. O Palazzo Lumini, da construtora San Remo, traz como opção para os compradores o pet room ou quarto para o cachorro. O ambiente fica próximo à lavanderia e é separado do espaço por uma porta de vidro com abertura vai e vem, que permite ao animal acesso ao quarto e a um dos terraços.

O ambiente comporta a cama, local para acomodar os potes de comida e água e um sanitário automatizado que dispara a descarga e limpa os dejetos assim que o animal deixa a plataforma. “Este sistema é uma criação nossa para proporcionar mais conforto, e está sendo bem aceito pelos clientes”, diz Aline Perussolo Soares, diretora de marketing da San Remo.


Fonte: Gazeta do Povo

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>