13 de julho de 2015   Publicado por: Garante Araribóia

Alugar pode ser a Solução

Por: *Elenita Fogaça

“O sonho da casa própria”. Depois de mais de uma década escrevendo sobre o mercado imobiliário, é quase impossível eu não ter redigido este jargão batido e tão usado em reportagens e peças publicitárias. Mas, por que temos de sonhar com a casa própria? Quem nunca disse ou ouviu alguém dizer: “coitado, ele ainda tem de pagar aluguel!”. Por que é coitado?

Há quem diga que a obsessão pela casa própria seja coisa de brasileiro. Uma herança dos nossos colonizadores, sempre em busca de novas terras. No mercado americano, por exemplo morar de aluguel é tão comum como optar por não ter carro e alugar um, quando preciso. Uma prática corriqueira por lá.

“O problema de muitas pessoas é o de condicionar sua felicidade à aquisição de alguma coisa”, diz a psicóloga e terapeuta holística e financeira, Paula Schurt. “Serei feliz com minha casa própria, com meu carro, com um novo trabalho ou um amor”, explica.

Isso, segundo Paula, só faz adiar a felicidade; e a não conquista desses bens, principalmente um imóvel, representaria o fracasso… e todos temem fracassar. “Já atendi vários pacientes no meu consultório que deixavam de comprar uma pizza ou fazer uma viagem porque tinham de pagar a prestação do seu imóvel. Sentiam-se infelizes, escravos desta situação”, revela.

A terapeuta financeira explica que o ideal é a pessoa equalizar coisas que são importantes para ela. Se a renda permite morar de aluguel, mais próximo do trabalho ou das facilidades que a fazem ter qualidade de vida, vale muito. “O ideal é que o aluguel represente não mais do que 30% da renda familiar e que sobre dinheiro para se divertir, estudar, gastar como quiser e até poupar”, aconselha Paula.

Para quem está interessado em morar de aluguel, a boa notícia é que a oferta de imóveis está aumentando e os preços, caindo. “Na verdade, os aluguéis estão voltando ao patamar de mercado, depois de uma supervalorização”, explica Moira Regina de Toledo Alkessuani, diretora de locação da Aabic (Associação das Administradoras de bens Imóveis e Condomínio de São Paulo). As moradias de 3 quartos, por exemplo, apresentaram redução de 1,3% em seus aluguéis, de acordo com a pesquisa do Secovi (Sindicato da Habitação).

Com o aumento da oferta, os locatários estão facilitando as negociações, principalmente no que se refere à fiança. “Muitos estão abrindo mão do fiador e dos depósitos dos aluguéis adiantados”, diz Moira. Isso porque a Lei 12.112, de 2009, criou regras mais rígidas para o despejo, caso o inquilino fique inadimplente, o que dá segurança aos donos de imóveis para dispensar a fiança. Ainda bem, pois não existe nada mais constrangedor do que pedir para alguém ser fiador.

Aproveite o momento e busque ser feliz, mesmo em um metro quadrado alugado, sem culpa, sem se achar um fracassado. More de aluguel, mas more bem.

Se você tem uma história de como transformou sua vida mudando para ser feliz, nos conte. Se você está precisando alugar e não sabe como equalizar renda e benefícios, também pode contar com a ajuda deste blog.

 

Fonte: Folha do Condominio

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>