21 de janeiro de 2014   Publicado por: Garante Araribóia

Além dos sorteios das vagas de garagem

Início de ano é tempo de assembleias nos condomínios. Consideradas enfadonhas, longas e até subjetivas, essas reuniões não atraem grande público nem mesmo quando o assunto “pega no bolso”, como aprovação das contas ou do orçamento – temas vitais para qualquer conjunto. Salão cheio e prenúncio de discussões acaloradas somente quando o tema do encontro é considerado “de grande interesse” pelos moradores, como sorteio de vagas de garagem.

A assembleia é um exercício de viver em sociedade, em condomínio”, lembra o presidente da Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo (Aabic) Rubens Carmo Elias Filho. E afirma que é possível tornar as reuniões mais atrativas.

“As reuniões devem ter pautas claras, é preciso avisar com antecedência o assunto a ser tratado, assim como a previsão orçamentária e o horário da assembleia. Os moradores precisam entender a importância de contribuir para ter um orçamento enxuto”, diz Elias Filho.

Síndico de dois condomínios em Santana, zona norte da cidade, Norival Biagini Bastos, de 60 anos, conta: “Eu já precisei fazer três assembleias para conseguir aprovação do valor da cota condominial”. Bastos também diz que vagas de garagem e aprovação de rateios extras são as campeãs de audiência. “As vagas nos edifícios que administro são fixas. A primeira assembleia para definir os lugares teve 100% de participação.”

Para tentar pelo menos 50% de participação, ele convoca os moradores com antecedência. Por exemplo, se a discussão é cota condominial, ele envia também as justificativas. “Quando o assunto é rateio, custos para melhorias e benfeitorias, mando o plano de ação para que venham preparados”, conta.

Ele conta que nunca preparou churrascos ou coquetéis para atrair participantes, mas acha válido usar esses artifícios para garantir presença maior.

Bastos acredita que o ideal seria que os moradores participassem do dia a dia das decisões. “Assim, entenderiam o quanto é importante discutir todas as necessidades do edifício.”

A gerente de relacionamento da Lello, Angelica Arbex, afirma que, nos prédios administrados pela empresa, apenas 40% dos moradores participam das reuniões. “Esse número preocupa, pois eles participam apenas daquelas que terão impacto no seu dia a dia ou no bolso”, diz.

De acordo com Angelica, muitos condôminos acreditam que assuntos como uso do salão de festas e reformas não afetam em seu dia, eles deixam de comparecer às assembleias. Mas ressalta que o morador terá de conviver com essas regras.

Para garantir ampla participação, Angelica orienta que se envie as pautas com antecedência e se coloque nos editais de convocação um aviso alertando sobre a importância da presença do morador para as decisões. Também se deve atrelar uma reunião cujo tema atrai grande participação com a aprovação de orçamento para uma reforma, por exemplo.

Fonte: Blog Radar Imobiliário – O Estado de São Paulo

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>