5 de janeiro de 2016   Publicado por: Garante Araribóia

Ação trabalhista

Empregado não pode ser despedido por entrar com ação contra o condomínio

Por Fernando Augusto Zito*

O empregado pode pedir a “justa causa” do empregador na justiça do trabalho quando forem violadas a lei ou as obrigações do contrato de trabalho.

A chamada dispensa ou rescisão indireta está prevista no artigo 483 da CLT – Consolidação das Leis do Trabalho.

Se algum funcionário, descontente com seu empregador, ingressar com reclamação trabalhista requerendo dentre outras coisas a rescisão indireta de seu contrato de trabalho, o que fazer ?

Importante esclarecer que não se pode demitir sumariamente empregado que ingressa com reclamação trabalhista, nem por justa causa e nem sem justa causa.

Se o empregado reclama direitos que entende violado no curso do contrato de trabalho, mas vem cumprindo com todas as suas obrigações contratuais, não se pode demitir nem sem justa causa.

É regra que este trabalhador não pode sofrer nenhuma revanche por tal atitude.

Do contrário, o empregador poderá sofrer uma segunda ação, de indenização, conforme ocorrido no caso do acórdão abaixo:

“EMENTA – Dispensa discriminatória. É cediço que o empregador possui o direito potestativo de rescindir o contrato de trabalho quando não mais lhe interessar. No entanto, o exercício desse direito encontra limites nos direitos individuais do empregado, sob pena de se configurar o abuso e gerar o dever de indenizar, mesmo na hipótese de o desligamento ocorrer sem justa causa.

Portanto, a despedida não pode ser efetivada com o escopo de discriminar e punir o empregado que exerce um direito individual fundamental como é o de acesso ao Judiciário, garantido pelo texto constitucional e que possui aplicação imediata, nos termos do artigo 5º, inciso XXXV e §1º. Recurso da reclamada a que se nega provimento”. (9ª TURMA, PROCESSO TRT/SP nº 0000105-21.2012.5.02.0019, (20140029207) e 0000902-94.2012.5.02.0019, RECURSO ORDINÁRIO da 19ª Vara do Trabalho de São Paulo)

O empregado pode pleitear a rescisão de contrato de trabalho e o pagamento das respectivas indenizações, permanecendo ou não no serviço até final decisão do processo trabalhista.

Se optar por continuar no emprego, deverá receber corretamente seu salário e demais benefícios, sob pena do empregador cometer mais um ato ilícito.

Fonte: SindicoNet

sem comentários publicado em: Notícias
Não há palavras-chave associadas com este artigo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>