13 de março de 2013   Publicado por: Garante Araribóia

6 passos para fazer a limpeza da piscina de forma prática e eficaz

Muitos proprietários limitam-se a simplesmente limpar a sujeira contida na superfície da piscina. Porém, embora comum, esta prática a longo prazo pode resultar em complicações maiores, como a formação de algas e o surgimento de bactérias e outros microorganismos, que além de deixarem aparência e cheiro desagradáveis, podem também ser prejudiciais à saúde. “É importante seguir o passo a passo porque a ordem inadequada das tarefas acarreta em mais tempo e trabalho para o proprietário. É também imprescindível que todo produto utilizado seja próprio e específico para limpeza de piscinas, pois eles possuem combinações químicas que não são prejudiciais aos banhistas e nem à própria piscina”, orienta Eduardo Santos, técnico especialista da Doutor Resolve, franquia especializada em reparos em imóveis residenciais e comerciais.

Passo 1: Limpeza do terreno externo (deck)

Com o vento e a movimentação em volta da piscina, ficam sujeiras no deck que com o tempo acabam caindo na piscina. “Qualquer tipo de limpeza que for feita na parte externa, deve ser realizada no sentido contrário à instalação da piscina. Existe um produto específico para cada material utilizado no acabamento”, explica Eduardo.

Passo 2: Limpeza do skimmer (coadeira)

O skimmer, ou coadeira, produz pequenas ondas para facilitar que todo tipo de resíduo vá para o filtro e de lá para o esgoto. O proprietário que possui a ferramenta deve limpá-la e esvaziar seu depósito manualmente antes mesmo de começar o restante do processo, para que as próximas etapas sejam facilitadas. “O mal funcionamento do Skimmer prejudica o dreno da água para o filtro, isso acontece muitas vezes por conta da sujeira que fica presa no aparelho. Quanto maior o intervalo entre uma limpeza e outra, maior o entulho de resíduos que ficará acumulado”.

Passo 3: Limpeza da superfície

A limpeza da superfície é um processo corriqueiro a quem possui piscinas. Nada mais é do que a utilização da rede para tirar resíduos maiores e mais visíveis como folhas, insetos, galhos, entre outras substâncias que ficam boiando.

Passo 4: Limpeza do revestimento

Isso ajuda a eliminar a formação de algas antes que se tornem um problema, chegando inclusive a criar manchas. “Cada borda deve ser limpa com um material específico. Por exemplo, escovas mais duras devem ser usadas em piscinas de concreto armado, enquanto as macias para piscinas de fibra de vidro e em revestimentos emborrachados”. Eduardo ainda diz que no caso de azulejos, qualquer material abrasivo como palhas de aço e escovas metálicas podem arranhar e danificar o revestimento.

Passo 5: Processo de aspiração

Toda a sujeira retirada da borda quando o revestimento foi limpo, afunda assim como resíduos menores. Para iniciar a aspiração da sujeira, deve-se conectar a ferramenta de sucção, como o skimmer ou qualquer outra abertura, à mangueira do aspirador. É importante ressaltar que normalmente as piscinas possuem mais de uma ferramenta de sucção e durante este processo apenas a que vai aspirar deve estar acionada, todas as demais devem ser tampadas ou desativadas. A mangueira deve estar totalmente submersa antes de ser conectada à abertura. “A partir daí o processo é bem simples, com o cuidado apenas de ser realizado lentamente. É como aspirar um tapete da sala”. O especialista orienta que se dê atenção especial aos cantos da piscina onde há maior acúmulo de sujeira. “Uma vez finalizada esta etapa, é comum que alguma sujeira fique retida na própria mangueira. Deve-se ter cuidado na remoção do aparelho para que os resíduos não regressem à piscina”, indica Eduardo.

Passo 6: Aplicação do cloro

O cloro deve ser utilizado como uma espécie de desinfetante, ele possui função bactericida e germicida e é indispensável para a finalização do serviço. “Deve-se seguir as instruções do fabricante, geralmente cerca de quatro a cinco gramas de cloro granulado são o suficiente para cada 1.000 litros de água”. Eduardo recomenda não utilizar tabletes de cloro, pois apesar de parecerem práticos, eles podem manchar o revestimento de forma irreversível por ficarem muito tempo concentrados em um só lugar.

DEU PROBLEMA? CHAME UM ESPECIALISTA

Quando a água da piscina apresenta problemas mais sérios como gerar irritação na pele e nos olhos dos banhistas, coloração escurecida, odores estranhos, causa corrosão de metais ou possui qualquer outro elemento estranho, é recomendável que se contate um profissional para fazer um tratamento específico. A Doutor Resolve disponibiliza especialistas em limpeza e reparos em piscinas. Procure a unidade mais próxima de você pelo site www.doutorresolve.com.br.

Fonte: Paran@Shop

sem comentários publicado em: Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>